Riscos de uma empresa: quais os principais e como evitá-los?

Compartilhar

Todo cuidado é pouco quando o assunto é a administração de uma empresa. Pequenas falhas podem comprometer todo um processo que envolve diversas pessoas.

Nesse sentido, é fundamental ter conhecimento a respeito dos maiores riscos ao abrir uma empresa para entender como evitá-los.

Problemas como a ausência de uma gestão de riscos podem causar danos recorrentes, capazes de impedir o crescimento sustentável da empresa.

Se você tem interesse em aperfeiçoar sua gestão, então não deixe de conferir os principais riscos que a ameaçam e também as melhores formas de lidar com eles. Saiba mais!

Quais os principais tipos de risco dentro de uma empresa?

Riscos de pessoal

Os riscos de pessoal são frutos da falta de pessoal qualificado para exercer determinadas funções dentro da empresa. Eles podem ser:

Intencionais: quando existe omissão ou negligência por parte de um colaborador; 

De qualificação: quando falta capacidade ou habilidade do profissional para exercer determinada função; 

Consequência de fraude, resultado de uma conduta que desrespeita as normas da empresa, ocorrendo desvios de materiais, valores, entre outros problemas.

Para casos assim, é inevitável pensar na capacitação da equipe de colaboradores da empresa.

Com treinamentos regulares, a empresa pode dar aos funcionários a competência necessária para que suas tarefas sejam realizadas de acordo com as reais necessidades da companhia.

Vale a pena também reavaliar a política de contratações, buscando fazer da atração de talentos um diferencial para o negócio.

Da mesma forma, é preciso pensar em qualidade de vida no trabalho, de modo a garantir que o ambiente negativo não seja um empecilho para o progresso da empresa.

Riscos de processos

A empresa precisa definir processos para garantir que as ações sejam feitas de acordo com seus interesses. Do contrário, as falhas se tornam comuns e os resultados não aparecem. É nessa lógica que o gestor deve ter em mente o devido controle em relação aos processos da empresa.

É preciso ter critérios para encontrar deficiências em algumas questões como, por exemplo, os indicadores de desempenho utilizados, a eficiência dos controles, o cumprimento da legislação, entre outros.

Quando algum desses recursos se mostra pouco eficiente, é hora de revisar os planos da empresa para, então, definir processos de acordo com seus interesses e possibilidades.

Em boa parte das vezes, os riscos de processos surgem em função de metas incompatíveis com o potencial da empresa, que levam a resultados ruins.

Os processos também podem estar equivocados devido a um mau entendimento do que determina a legislação do setor.

Sendo assim, avaliar com calma as obrigações, se possível, contando com o auxílio profissional, é fundamental para garantir que as atividades dentro da empresa ocorram sem riscos.

Riscos por eventos externos

Mesmo quando a gestão aperfeiçoa habilidades e competências de seus colaboradores e estabelece processos compatíveis com suas necessidades, a empresa também pode ter problemas com elementos que não são de sua competência.

Existem fatores externos ao ambiente da empresa que podem comprometer consideravelmente seu desempenho.

Nesse caso, algumas questões, como a interrupção de serviços públicos, a ocorrência de catástrofes naturais e, até mesmo, ações como vandalismo e roubo, tendem a trazer prejuízos para a organização.

O que fazer em casos assim? No nosso país, é obrigatório para a empresa fazer a contratação de um seguro capaz de cobrir prejuízos em casos como os de incêndio.

Sem ele, a empresa pode ter que arcar com multas e até ser impedida de atuar. Além disso, existem outras apólices que estabelecem o ressarcimento diante de roubos ou furtos, incêndios, danos elétricos, entre outros.

Investimentos assim garantem tranquilidade para o trabalho no dia a dia e evitam o surgimento de riscos por eventos externos. Com a definição de um conjunto de ações para garantir o devido cuidado com o patrimônio, você evita ameaças.

Riscos de sistemas

Programas de computador podem apresentar falhas, da mesma forma que serviços ruins costumam atrasar os profissionais em suas ações de rotina.

Problemas dessa natureza têm a ver com os sistemas utilizados pela empresa. Quando eles são mal estruturados ou apresentam defeitos pontuais, precisam ser revistos para que os responsáveis atuem na substituição de um produto ou serviço.

Alguns exemplos são a queda de servidores, as falhas de segurança e até a manutenção inadequada.

Um vírus que entra no seu sistema pode atingir todos os computadores da companhia e causar atrasos de dias e até semanas nos trabalhos da equipe.

Sendo assim, o ideal é que os investimentos em licenças sejam feitos pensando não somente no valor de cada uma delas, mas também na relação custo-benefício.

Quando ela é positiva, mesmo que você tenha que gastar um pouco mais com um sistema, você pode contar com uma manutenção qualificada, capaz de eliminar riscos para a sua empresa.

Sendo assim, o ideal é avaliar bem cada oferta antes de fechar negócio. Além disso, invista em soluções que sejam reconhecidas por outros profissionais. Essa credibilidade será fundamental para a sua empresa.

Como fazer uma gestão eficiente de riscos dentro da empresa?

Na prática, tudo se resume a medir, controlar e prever. Você pode dividir os recursos da companhia entre humanos e materiais. Eles precisam ser garantidos, visando melhores resultados para a organização.

Cabe a ela minimizar os riscos que ameaçam esses recursos e, para tanto, é válido estabelecer os chamados processos de controle, responsáveis por evitar ou amenizar o surgimento de riscos.

Tenha parâmetros para identificar riscos e para agir sempre que necessário. Uma vez identificados, é hora de propor medidas e testar sua eficácia.

Se os controles aplicados forem eficientes, basta fazer o devido registro para definir a data de uma verificação e avaliação futura.

Caso contrário, se os resultados não forem satisfatórios, será necessário rever todo o processo para que sejam definidas novas medidas de controle visando a gerência de riscos eficaz.

Com a gestão de riscos, você passa a estar sempre em busca de aperfeiçoamento e cria meios para melhorar os resultados de sua empresa.

Enfim, compreender a importância de uma boa gestão de riscos é fundamental para o futuro do empreendimento.

Ao se preparar para isso, você garante maior segurança para o negócio e aumenta suas possibilidades de sucesso.

Continue acompanhando os nossos conteúdos no Facebook e Instagram


Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *