Projeção financeira: entenda como prever lucros e despesas

Compartilhar

Administrar uma empresa não é tarefa fácil, e é muito comum que os empreendedores se deparem com muitas dificuldades antes de conseguir ter sucesso no mundo dos negócios. Por isso, o planejamento e a organização das movimentações internas são indispensáveis para a sua empresa ter uma gestão financeira eficiente, e uma das maneiras de fazer o negócio crescer de maneira sustentável é a projeção financeira.

Porém, essa não é uma tarefa tão simples. Inclusive, se tratando de projeções financeiras, uma pequena dose de pessimismo pode ajudar no processo, já que prognósticos muito favoráveis podem o levar a assumir decisões arriscadas que comprometam a saúde financeira da sua empresa.

Portanto, o objetivo deste artigo é explicar o que é uma projeção financeira, quais são os tipos existentes e de que maneira ela contribui para o seu negócio. Além disso, vamos lhe ensinar a utilizar de forma mais eficiente esse indicador para que você consiga aplicá-lo de forma produtiva no seu negócio. Preparado? Então leia o artigo abaixo!

O que é uma projeção financeira?

Podemos descrever projeção financeira, basicamente, como uma estimativa do valor de receitas e despesas futuras que, normalmente, expressam períodos de curto, médio e longo prazo. O principal objetivo de prever as despesas e lucros é se adiantar aos acontecimentos futuros.

Ao aplicar esse conceito, será possível se preparar melhor para épocas de crise, organizar os seus gastos e alocar recursos corretamente nas áreas necessárias, sem perdas significativas ou danos financeiros. Para isso é necessário ter conhecimento das modalidades existentes.

Projeção financeira de curto prazo

A estimativa de curto prazo é referente à previsão do primeiro ano de desenvolvimento do empreendimento.

Geralmente, a produção dessa projeção acontece em base mensal. Por esse motivo, ela é muito detalhada e qualquer erro pode representar um dano significativo no negócio. O mais indicado é que se façam revisões mensais do orçamento para acompanhar o desenvolvimento da estimativa e reduzir a possibilidade de erros.

Usualmente, projeções de curto prazo são utilizadas para gerenciar o fluxo de caixa, organizar ações, distribuir recursos, monitorar métricas, plano de execução e para prestar contas aos colaboradores e investidores.

Projeção financeira de médio prazo

As projeções financeiras de médio prazo estimam a saúde financeira do negócio nos próximos três anos.

Essa é a projeção utilizada pela maioria das empresas. Assim como as estimativas de curto prazo, ela também é construída na base mensal. Sua principal meta é explicitar como o negócio vai expandir nos anos subsequentes até atingir o chamado ponto de equilíbrio.

Por ter um prazo maior, a margem de erro desse tipo de projeção é superior à de curto prazo. Quanto mais sólidas forem as confirmações das hipóteses, menor será o erro da estimativa. Usualmente, sugere-se que a revisão dos prognósticos financeiros tenha frequência semestral ou aconteça toda vez que forem realizadas mudanças significativas no modelo de negócio da companhia.

As principais funções de uma projeção financeira de médio prazo consistem em validar o modelo de negócios, calcular a necessidade de capital, mostrar a razão de crescimento da empresa, corroborar com a maturidade e a experiência da equipe e criar planos de carreira, salários e remunerações variáveis.

Projeção financeira de longo prazo

Sendo o último tipo de projeção financeira e o menos utilizado, as previsões de longo prazo devem ser feitas na base anual, ou seja, de ano a ano, e não mês em mês como as outras.

O período ideal para realizar o acompanhamento é de cinco anos. O grande espaço de tempo pode representar uma certa “futurologia”, mas entender aonde o negócio pode chegar e compará-lo com o cenário de mercado no qual ele está inserido faz parte de um plano de negócios bem estruturado.

Aqui, o erro é praticamente uma certeza e por isso não se deve gastar muito tempo na elaboração de detalhes dessa estimativa. As revisões podem ser realizadas ao final de cada ano, no momento em que a empresa estiver diante de uma grande oportunidade estratégica, ou durante a captação de recursos e investimentos.

As projeções financeiras de longo prazo têm funções bem específicas, são elas: mostrar o potencial de crescimento da empresa, calcular a valorização do negócio, planejamento e revisão de estratégia, analisar cenários e dar suporte à tomada de decisão e negociar com investidores.

Como elaborar uma projeção financeira eficiente?

É comum que em determinadas situações o gestor de uma empresa esteja focado na parte operacional do negócio e deixe de lado o planejamento dos recursos por não saber como fazê-lo. Como consequência disso, o caixa poderá ficar no vermelho e o empreendedor sem saber a que recorrer para cumprir com as suas obrigações financeiras.

Por isso, desenvolvemos um passo a passo para explicar como você pode aplicar a projeção financeira no seu negócio de forma eficiente. Confira:

1. Se prepare para o pior

Não é recomendado ser otimista demais no momento da elaboração planejamento financeiro. Isso pode levar você a fazer investimentos que prejudiquem a liquidez da sua empresa.

Procure imaginar que, de uma hora para outra, os gastos extras podem surgir, como um aumento no custo de fornecimento. Observe também como o mercado se comporta na atualidade e projete um crescimento realista, estimado com bom senso e critério.

Isso porque essas são previsões baseadas no entendimento da cúpula de gestão, portanto, é importante ser sincero na hora de prever os custos para que não exista nenhuma surpresa negativa ao longo do tempo.

2. Faça estimativas de receitas e despesas

Desenvolva uma estimativa das vendas com base em informações procedentes e confiáveis de acordo com os desempenhos passados. Nunca estipule um valor com base na sua opinião. Ao invés disso, busque analisar o custo do produto, a média mensal das vendas e o valor gasto por venda. Caso julgue necessário, vale consultar a opinião de terceiros para chegar a um valor próximo da realidade.

Quanto às despesas, registre gastos como pagamento de aluguel, contas de água, energia e telefone, marketing e todas os valores de gastos fixos e previsíveis. Ao fazer isso, você terá condições de estimar um lucro projetado e poderá organizar melhor as finanças com base nele.

3. Preveja problemas utilizando o fluxo de caixa

O fluxo de caixa diz muito sobre a saúde financeira de uma empresa e projetá-lo é uma das etapas mais úteis para preparar um caminho mais tranquilo para o seu negócio. Desenvolva previsões sobre o quanto de dinheiro você terá em caixa ao final de cada mês, leve em consideração suas retiradas, despesas de funcionários e as obrigações fiscais.

Assim, você será capaz de programar as maiores despesas de acordo com os períodos do ano de maior flexibilidade do caixa.

4. Identifique o ritmo do ciclo financeiro da sua empresa

Caso sua companhia já tenha algum tempo de atuação no mercado, estude os demonstrativos financeiros de lucros e perdas dos últimos anos para prever o que pode acontecer. Pode acontecer de, por exemplo, o custo de uma das matérias-primas utilizadas para a produção do seu produto aumente em determinado mês ou então de seus negócios aumentarem numa determinada época.

Incluir essas hipóteses nas suas projeções financeiras lhe dará maior precisão das suas estimativas.

Agora que você já sabe tudo sobre projeção financeira, o que acha de conhecer mais sobre os FIDCs? Você também pode acompanhar outros conteúdos no nosso Linkedin.


Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *