Open Banking: O que é, benefícios e fases5 min de leitura

Open Banking
O Open Banking começou a ser implementado no país em 2021 e para ficar por dentro do assunto, continue com a leitura deste artigo

Compartilhe este artigo

A fim de permitir o compartilhamento de dados financeiros, o Open Banking começou a ser implementado no país em 2021. Agora, já na fase final, mostra-se uma ferramenta vantajosa para clientes, que buscam serviços financeiros mais adequados as suas necessidades, e instituições bancárias, que desejam aumentam a sua competitividade dentro do segmento.

E para você entender tudo a respeito do tema, continue com a leitura deste artigo. E nos tópicos a seguir entenda esse sistema, as vantagens que possui e as suas fases de implementação.

O que é Open Banking e como funciona

O Open Banking, que teve sua denominação alterada para Open Finance ou Sistema Financeiro Aberto, é um sistema desenvolvido pela Banco Central. O seu objetivo é o de promover a inovação financeira por meio de um sistema mais eficiente e transparente, a fim de garantir uma melhor relação entre instituições financeiras e consumidores.

Para tanto, permite o compartilhamento de dados financeiros entre bancos tradicionais, bancos digitais, fintechs, securitizadoras e demais instituições financeiras. Desse modo, o cliente de uma delas pode migrar para outra instituição e levar consigo os seus dados bancários e financeiros, o que até então não era possível fazer.

Essa funcionalidade do Open Banking possibilita, então, que o consumidor encontre menos entraves na hora de escolher o banco que melhor atende as suas necessidades. Além disso, ele tem acesso a uma maior oferta de produtos e serviços, o que é essencial para garantir a saúde financeira da sua família ou empresa.

O nome do sistema passou para Open Finance em 2022, quando o governo, responsável pela implementação, decidiu ampliar a sua atuação. Com isso, não são mais só os dados referentes a produtos bancários tradicionais que são compartilhados, como também outros, a exemplo de investimentos e seguros.

Quanto ao compartilhamento dos dados, acontece por meio de uma API bancária, sendo que esse termo refere-se à Application Programming Interfaces. Ou seja, Interface de Programação de Aplicações, traduzindo do inglês, e que pode ser resumido como uma função disponível nos softwares das instituições financeiras.

Nesse sentido, a API permite que diferentes sistemas, softwares ou aplicativos se integrem e, dessa forma, a transmissão de dados de um banco a outro ocorre de maneira padronizada. Por consequência, as chances de haver erros são menores, o que aumenta até mesmo a segurança de dados dos clientes.

Benefícios do Open Finance

Com o novo sistema, que ajuda a promover a regulação financeira no país, existem muitas vantagens para instituições bancárias e para os consumidores. Para os bancos e demais instituições, os benefícios são principalmente no que tange à possibilidade de aumentarem a sua competitividade no mercado.

Afinal, diferente do que acontecia antes, quando uma pessoa abria uma conta em um novo banco, a instituição não conhecia o seu histórico financeiro. Em outras palavras, não sabia se ela seria uma boa cliente ou não.

Agora, com o compartilhamento de dados, o banco pode analisar o seu histórico. E, se for uma pessoa confiável, pode oferecer facilidades que o fidelizem junto à instituição. Desse modo, o Open Banking também se torna vantajoso para os consumidores, que recebem um atendimento mais personalizado do banco de modo a atender suas necessidades na medida certa.

Além disso, já que o banco passa a conhecer melhor o seu novo cliente, pode oferecer tarifas mais baixas, juros menores e condições mais vantajosas. E pelo fato do sistema ser padronizado, a troca de informações é simples e segura, o que oferece agilidade na hora do cliente buscar outra instituição financeira para contratar novos produtos e serviços.

Fases de implementação do sistema

Na primeira fase do sistema, quando ainda se chamada Open Banking, foi realizado o tratamento das informações cadastrais. Entre elas, endereço, renda e dados pessoais, bem como informações relativas às operações de crédito e cartões de crédito.

Na segunda fase, o compartilhamento de dados dos clientes entre as instituições financeiras começou a acontecer. Na terceira fase, houve a iniciação de pagamentos, de modo que os clientes pudessem movimentar a sua conta a partir de diferentes plataformas.

No início de 2023, deu-se início a quarta fase, quando já pode ser feito o compartilhamento de dados relacionados a produtos e serviços, incluindo seguro, investimentos, câmbio e previdência. Após a conclusão dessa etapa, a previsão é que o Open Finance tenha suas funções otimizadas para agregar outras possibilidades e beneficiar ainda mais a população em geral e o setor empresarial.

Nesse cenário, entretanto, há certos desafios do Open Banking, como obter uma maior adesão do público que, até o momento, é considerada baixa. Isto é, em torno de 8% dos brasileiros que possuem conta bancária. Entre os principais motivos, destaque-se a falta de educação financeira da população, bem como o fato de ser significativo o número de pessoas que não tem acesso pleno à internet no país.

One7 está constantemente conectada às tendências de inovação tecnológica no mercado financeiro.

Nossas soluções, têm por objetivo trazer mais segurança, autonomia e agilidade na aquisição de crédito para empresas. Para conhecer mais sobre nossas soluções para sua empresa, nos siga no LinkedIn, ou faça seu cadastro que entraremos em contato

Deixe um Comentário

Artigos relacionados

Entenda como transformar uma MEI em LTDA
Dicas Executivas

Entenda como transformar uma MEI em LTDA 

Transformar um Microempreendedor Individual (MEI) em uma Sociedade Limitada (LTDA) é um processo que envolve diversos passos e requer atenção a vários requisitos e detalhes.

Receba informações sobre crédito, finanças, e gestão empresarial.
Assine nossa newsletter: