O que é Governança Corporativa e quais são os seus benefícios?

Compartilhar

Compreender a governança corporativa é fundamental para todos os profissionais. A globalização e o aumento dos fluxos de informações tornaram processos simples em algo mais complexo, impactando diferentemente os interessados de um negócio. 

Esse conceito refere-se a um conjunto de mecanismos em que empresas sugerem novos princípios que melhoram a gestão financeira empresarial e potencializam o valor econômico da instituição.

Para prevenir erros ou desvios na administração, as normas de condutas e boas práticas favorecem a transparência e a prestação de contas das organizações. Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue lendo este texto!

O que é governança corporativa? 

A governança pode ser definida como um conjunto de práticas que busca melhorar a qualidade da gestão de uma empresa. Ela pressupõe a criação de mecanismos de controle interno e externo das atividades, assim como busca otimizar os processos de divulgação. 

Ela é um sistema pelo qual as empresas são dirigidas, incentivadas e monitoradas. Dessa forma, a gestão envolve relacionamentos entre os sócios, conselhos, diretorias e órgãos fiscalizadores das partes interessadas. Esses princípios convertem em recomendações objetivas que alinham interesses, a fim de preservar o valor econômico de uma instituição em longo prazo.

Quais os princípios da governança corporativa?

A governança tem alguns princípios básicos norteadores. Conheça os principais.

Transparência

A transparência é um princípio básico de qualquer negócio. Qualquer decisão precisa ser mostrada, de forma transparente, às pessoas interessadas na instituição. Os stakeholders são os investidores, clientes, fornecedores, governo e até a sociedade. 

Ser transparente significa ir além do que a lei exige. A intenção deve ser apresentar aos interessados qualquer informação que eles desejarem, incluindo desempenho econômico e ações da gerência.

Portanto, é fundamental que essa cultura de transparência seja algo natural na organização. Assim, você garantirá a construção de boas relações, aumentando o engajamento e conquistando os objetivos da empresa. 

Equidade

Sabemos que, em grandes instituições, há níveis hierárquicos diferentes. Porém, prezar pela equidade garante que situações de diferenciações não aconteçam. Esse princípio busca garantir que, independentemente do grau de relação, influência sobre a empresa ou participação no capital, todos os agentes tenham o mesmo tratamento e direito de escolha. 

Presume-se, equivocadamente, que o CEO e os gerentes sabem melhor sobre as escolhas da instituição. Mas, ouvir e dar voz aos funcionários que lidam diariamente com o produto e os clientes pode ser o fator decisivo na hora de propor novas ações ou investimentos.

Esse tratamento igualitário auxilia nas relações entre os interessados e garante a fluidez dos processos. Assim, com os canais de comunicação abertos, fica mais fácil estabelecer contato e garantir a eficiência da governança corporativa. 

Prestação de contas

A prestação de contas também conhecida como o accountability é uma das ferramentas que potencializa o princípio da transparência. Nas instituições, esses princípios são complementares e, por isso, precisam andar juntos.

A prestação de contas deve começar com a documentação de todo trabalho realizado e deve se estender à apresentação de relatórios e resultados periodicamente. Dessa forma, todos os que detêm responsabilidades em uma empresa precisam prestar contas sobre os seus atos e decisões, tanto no nível financeiro quanto no desempenho de outras ações. Isso auxilia no controle e no planejamento das atividades futuras, por exemplo. 

Responsabilidade corporativa

A responsabilidade corporativa está relacionada ao modo como a marca se posiciona frente aos stakeholders. Com as relações cada vez mais ligadas ao ambiente digital, é preciso estabelecer uma imagem responsável da empresa nesse ambiente. 

É responsabilidade dos gestores cuidar da viabilidade econômica e diminuir os possíveis problemas externos, buscando a longevidade da organização. Nesse sentido, têm melhor desempenho aqueles que têm uma visão panorâmica da situação. É preciso, por exemplo, saber quais são os impactos de cada ação e antever possíveis problemas, agindo, assim, de forma responsável. 

Quais os seus benefícios?

Além de entender esse conceito, é preciso compreender quais benefícios são agregados a essa metodologia. Ao ter normas e condutos dentro da empresa, é possível usufruir desses benefícios em longo prazo.

A governança corporativa oferece vantagens tanto para as empresas quanto para os interessados. Veja quais os principais ganhos de uma corporação: 

  • maior transparência à gestão da empresa;
  • alinhamento dos interesses dos stakeholders;
  • melhoria da imagem da empresa;
  • resolução ágil de conflitos;
  • priorização dos interesses da empresa;
  • conversão de princípios, missões e valores em ações concretas e efetivas;
  • definição de objetivos estratégicos; 
  • descentralização da tomada das decisões;
  • preservação do valor econômico da organização;
  • promoção da gestão organizacional;
  • valorização da marca.

Os investidores sabem da importância da governança corporativa e dos benefícios que ela proporciona. Por isso, as empresas que a utilizam transmitem mais segurança. Por exemplo, a bolsa de valores brasileira tem diversos segmentos de listagem conforme o grau de governança adotado. As mais desenvolvidas são vistas com bons olhos pelos investidores. 

Qual a importância de uma cultura de governança corporativa?

A governança corporativa precisa sair do papel e tornar-se uma cultura dentro da empresa. Com o tempo, todos os envolvidos, funcionários e stakeholders, precisam pensar dessa forma. 

Algumas empresas, como Petrobras, VALE, HSBC, Telefônica, TAM e Banco Itaú, já perceberam essa importância, pois ela contribui para o desenvolvimento econômico sustentável e proporciona melhorias na evolução da empresa. 

A escolha deve partir de conselheiros qualificados. Assim, evita-se os abusos de poder, seja dos acionistas, seja da diretoria, seja dos administradores sobre terceiros. Além disso, quando há a governança corporativa, evita-se também a concentração de poder no executivo da empresa e fraudes devido ao acesso a informações privilegiadas. 

Alguns passos podem ser seguidos para alcançar um equilíbrio na governança, como a formação de times adequados, o mapeamento e monitoramento das metas, a comunicação e treinamento e, por fim, a avaliação e evolução dos programas implementados.

Vale ressaltar que é importante que a governança corporativa também faça parte de empresas familiares. Afinal, esses conceitos e metodologias auxiliam na capacitação e escolha de herdeiros e administradores mais adequados para cada função. 

Portanto, é possível perceber como tais sistemas e práticas são voltados para a lisura e a transparência das ações. Elas contribuirão para a gestão interna e externa, além de manter a saúde financeira da empresa e sua imagem institucional. 

O conceito de governança corporativa também pode ser aplicado em outros campos de negócio, além da esfera organizacional. Se você quer saber mais novidades sobre soluções financeiras para a sua empresa, entre em contato com a gente!


Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *