Fluxo de caixa: descubra o que é, a importância e como fazer5 min de leitura

Fluxo de caixa
O conceito de fluxo de caixa é bastante simples. Pois consiste tão somente nas movimentações financeiras da sua empresa.

Compartilhe este artigo

Para uma empresa obter sucesso não basta oferecer produtos de qualidade e contar com bom atendimento, mesmo que isso signifique realizar um número satisfatório de vendas. Afinal, mesmo vendendo todos os dias, o seu negócio pode não ter ganhos suficientes.

Isso ocorre quando o valor das vendas, mesmo sendo muitas, não consegue pagar todas as despesas. Ou seja, o problema está no fluxo de caixa. Por isso, entender esse conceito, a sua importância e como gerenciá-lo são informações tão importantes.

 E se você deseja aprender sobre o tema, continue com a leitura deste artigo. Nos tópicos a seguir, encontre tudo a seu respeito.

O que é fluxo de caixa e como funciona

O conceito de um fluxo de caixa é bastante simples. Isso porque consiste tão somente nas movimentações financeiras da sua empresa. Isto é, no dinheiro que entra e sai do caixa. Em geral, as entradas se referem ao valor obtido por meio das vendas de produtos e serviços.

Enquanto isso, as saídas englobam o dinheiro que serve para pagar as despesas do negócio. Nelas, estão incluídas tanto as despesas fixas quanto as variáveis. As primeiras são aquelas pagas todos os meses pelo mesmo valor, mesmo que haja pequenas variações devido aos reajustes dos preços.

Nesse caso, podemos citar os gastos com aluguel, energia elétrica, telefonia, internet, água, impostos, salário dos funcionários e outras. Já as despesas variáveis são as que mudam de valor e mesmo de frequência. Entre elas, as mais comuns são as compras de matéria-prima e de mercadorias para o estoque.

 Para identificar o fluxo de caixa, é preciso que as movimentações financeiras sejam controladas. Para tanto, devem ser registradas. O controle pode ser feito em uma planilha de fluxo de caixa ou mesmo manualmente.

Mas, atualmente, o mais adequado é fazer uso de softwares de gestão. Com eles, o registro das entradas e saídas é mais eficiente. Afinal, hoje em dia, mesmo as pequenas empresas possuem uma movimentação financeira complexa, sendo difícil executar a tarefa de modo manual.

Importância da gestão de fluxo de caixa

A partir do momento que existe o adequado controle de fluxo de caixa, a empresa já está fazendo a gestão das entradas e saídas. Essa atitude oferece diferentes vantagens, por isso, é muito importante para negócios de todos os portes e segmentos de mercado.

 Um dos principais benefícios de realizar o fluxo de caixa mensal é identificar exatamente quanto dinheiro a empresa tem no caixa. Essa informação permite ao gestor uma visão mais ampla da situação do negócio. Inclusive, na hora de tomar decisões.

Afinal, se for preciso decidir se é a melhor hora de fazer um grande investimento, por exemplo, ao saber como está o fluxo de caixa atual, é possível tomar uma decisão mais assertiva. Em outras palavras, que não cause prejuízos para a empresa.

Dicas de como fazer fluxo de caixa

 Para descobrir como fazer fluxo de caixa, vale a pena conhecer os seus tipos. Veja a seguir quais são eles:

  • Fluxo de caixa operacional

Quem prefere começar com um fluxo de caixa simples pode escolher esse. Para tanto, basta listar as entradas e as saídas de dinheiro ao longo de um certo período. Em geral, se faz uso do mês.

Com isso, consegue-se identificar a diferença entre o dinheiro disponível em caixa e a soma das despesas. E avaliar quais gastos podem ser cortados caso seja necessário.

  • Fluxo de caixa direto

Esse outro modelo de fluxo de caixa se assemelha com o anterior e consiste em registrar todas as movimentações financeiras. Mas com foco nos pagamentos. Desse modo, o seu controle é feito de maneira rigorosa, podendo ser diariamente.

Além disso, as despesas são todas separadas por categorias. E as informações devem se manter sempre disponíveis.

  • Fluxo de caixa indireto

Aqui, o foco está para no Balanço Patrimonial e no Demonstrativo de Resultado do Exercício. Isto é, no que diz respeito aos lucros e prejuízos do negócio. Isso acontece porque o seu objetivo é conhecer o desempenho das finanças.

Devido a isso, é considerada mais uma ferramenta contábil do que uma demonstração de fluxo de caixa. A dica é que essa metodologia seja usada em conjunto a outro modelo.

  • Fluxo de caixa projetado

Nesse caso, a ideia é permitir ao gestor planejar as ações futuras a partir dos resultados. Para tanto, deve-se projetar as despesas e recebimentos, ajustes necessários e investimentos para expandir a empresa.

  • Fluxo de caixa livre

Com esse modelo, é possível medir a capacidade do negócio gerar capital no curto, médio e longo prazos. Por isso, o foco é no saldo depois de descontar os pagamentos e os recebimentos provindos de empréstimos.

  • Fluxo de caixa descontado

Por fim, nesse tipo é feito um cálculo fluxo de caixa a fim de determinar o valor da empresa. Portanto, é um modelo usado quando se quer comprar um vender um negócio.

Algumas empresas oferecem serviços que podem auxiliar no equilíbrio do fluxo de caixa e nesse ponto, a One7 é uma ótima solução, pois além de oferecer as taxas mais atrativas do mercado, possui um processo de análise rápido, com profissionais qualificados e atendimento personalizado.

Para saber mais, nos acompanhe pelo LinkedIn ou preencha o formulário e aguarde o nosso contato!

Deixe um Comentário

Artigos relacionados

Entenda como transformar uma MEI em LTDA
Dicas Executivas

Entenda como transformar uma MEI em LTDA 

Transformar um Microempreendedor Individual (MEI) em uma Sociedade Limitada (LTDA) é um processo que envolve diversos passos e requer atenção a vários requisitos e detalhes.

Receba informações sobre crédito, finanças, e gestão empresarial.
Assine nossa newsletter: