FIDC e securitizadora — A evolução do sistema financeiro tradicional

Compartilhar

Investimento é um assunto que demanda atenção e precaução sempre que discutido, afinal, existem diversas variáveis a serem levadas em consideração na hora de decidir onde e como investir. Estamos visualizando a evolução do sistema financeiro tradicional, com o surgimento do FIDC e das securitizadoras, que trazem investimentos rentáveis, seguros e com liquidez.

Você ainda não conhece essas novas soluções disponíveis no mundo financeiro? Não se preocupe, reunimos algumas informações valiosas para ajudar você a investir melhor o seu dinheiro e conhecer essas novas opções. Continue a leitura desse artigo e confira!

O que é um FIDC

Os Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios são aplicações de renda fixa de alta rentabilidade que contam com um baixo risco de perdas. Outra denominação para o FIDC é fundo de recebíveis. A maior parte dos recursos é destinada à compra de direitos de recebíveis, em sua maioria de indústrias e prestadoras de serviços.

Esses direitos adquiridos vêm do que as empresas têm a receber de seus credores, como cheques, duplicatas e outros tipos de cobrança. O restante do patrimônio do fundo é investido em diversos títulos de renda fixa.

Um FIDC é lastreado com a compra de recebíveis de empresas de diversos segmentos do mercado. O valor é então transformado em cotas, utilizando-se de operações financeiras, imobiliárias, comerciais, industriais, hipotecas e prestação de serviços.

As pessoas que adquirem essas cotas têm o direito de receber, após um período determinado, os valores corrigidos conforme contrato. Toda essa operação é realizada por meio de um responsável, que é o FIDC.

A vantagem para as empresas que estão disponibilizando esses recebíveis é garantir dinheiro em caixa para continuar realizando as suas operações, sem ter de esperar pela compensação de cheques, duplicatas, entre outros.

Cotas

O FIDC tem por objetivo adquirir direitos de crédito por meio de cotas. No entanto, existem dois tipos de cota que podem ser emitidos por um fundo. São eles:

Cotas seniores

Contam com uma remuneração alvo e são destinados aos investidores que não fazem parte da empresa geradora de cotas. Os compradores desse tipo possuem prioridade para a amortização e resgate com uma remuneração pré estabelecida em contrato.

Cotas subordinadas

Esse tipo se subordina ao resgate das cotas seniores. Elas não podem ser amortizadas ou resgatadas antes das outras, pois são garantidoras de toda a operação. São pagas apenas após a quitação de todas as seniores.

Vantagens dos FIDCs

Podemos estabelecer que a principal vantagem dos FIDCs é a sua alta rentabilidade, em comparação a produtos mais populares de renda fixa, como o CDI, poupança, LCI, LCA e outros.

No entanto, o risco atribuído ao investimento é baixo, como nas outras opções destacadas acima. Outro fator muito importante que pesa para esse fundo é o fato de que sua rentabilidade não está atrelada à flutuação do mercado.

Já em relação ao Imposto de Renda, pessoas físicas detentoras de cotas em fundos fechados podem diferir, realizar o pagamento dos impostos em uma data mais adiante do prazo fixo. Ainda contando com uma alíquota regressiva de acordo com o tempo de resgate do investimento.

O que é uma securitizadora

As empresas necessitam realizar investimentos constantes para se manter competitivas no mercado, e nem sempre dispõe dos valores necessários para as suas operações.

Em casos como esse, é comum que as empresas busquem por financiamentos para alavancar um determinado projeto ou melhoria. Uma das opções é utilizar uma securitizadora para garantir a liquidez necessária para suas demandas.

A  securitizadora converte diversas formas de crédito como duplicatas, cheques, parcelamentos, entre outros valores.Esses serão negociados e contraídos por diversos investidores, que são agora donos desses créditos. Ao longo do tempo eles receberão os valores que forem sendo quitados. Existe um adicional nesses pagamentos que viabiliza a rentabilidade do investimento.

Diferenças entre securitizadoras e FIDC

As operações realizadas por ambas as modalidades são parecidas, no entanto, as instituições responsáveis são diferentes. No caso da securitização, existe uma instituição especializada em prover recursos para empresas que buscam liquidez, disponibilizando seus créditos aos investidores.

Já o FIDC é um fundo de investimentos, que realiza a compra direta dos créditos fornecidos por empresas, as divide em cotas e oferece no mercado como opção de investimento.

Outra diferença entre as duas alternativas de recebíveis é que em um fundo, parte dos valores investidos é aplicada em outras modalidades de renda fixa com o intuito de minimizar ainda mais os riscos de retorno.

Com a instabilidade financeira que vive o país atualmente, mais e mais empresas estão buscando alternativas aos juros altos ofertados em financiamentos e empréstimos.

Uma das opções encontradas é a venda de seus créditos a FIDCs e securitizadoras com o intuito de acumular liquidez para as suas operações. Esse cenário pode ser uma ótima oportunidade para investidores que querem diversificar suas aplicações sem aumentar o risco.

Chegamos ao fim de nosso post e esperamos que você possa utilizar as informações dispostas aqui para melhorar seus investimentos e rentabilidade. Acompanhe o nosso Linkedin e fique por dentro de todas as nossas publicações!



Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *