Como conseguir crédito para ampliar seu negócio em tempos de crise?

Compartilhar

Conseguir ampliar negócios em tempos de crise é uma tarefa para empreendedores ousados, resolutos, decididos a vencer. Apenas os empreendedores que enxergam soluções onde a maioria enxerga barreiras é que estão aptos a tamanho desafio de fazer um negócio prosperar e crescer mesmo em meio a um ambiente econômico pouco favorável.

Por isso, se o seu objetivo é alavancar o faturamento da empresa investindo em áreas estratégicas, continue a leitura deste artigo, em que mostramos caminhos seguros capazes de aproximar seu objetivo das possibilidades financeiras que o mercado de crédito oferece. 

1. Tenha um cadastro sem restrições

A primeira condição para se pleitear crédito no mercado é ter um cadastro “limpo” no tocante ao pagamento de compromissos financeiros com fornecedores, bancos e governo.

Se a empresa solicitante possuir histórico negativo de pagamentos no momento da análise de crédito, ela possivelmente será orientada a renegociar ou até mesmo quitar suas pendências, antes de efetivar nova solicitação de empréstimo.

Cadastros negativados oferecem maior risco ao credor, portanto, é natural que isso se torne um impeditivo para obtenção de crédito.

Importante ressaltar que ocorrências negativas no cadastro das pessoas físicas sócias de uma empresa também podem prejudicar a liberação dos valores. Então, é importante que o empreendedor consulte previamente seu cadastro pessoal antes da solicitação e, se for o caso, regularize eventuais pendências.

2. Mantenha um bom relacionamento com a instituição financeira

O dinheiro é o produto principal de uma instituição financeira. Portanto, para emprestá-lo a uma empresa, a instituição necessita conhecer muito bem o ambiente financeiro da solicitante, para assim ter uma ampla visão de seu comportamento como pagadora.

Nesse estreitamento de relações entre empresa e instituição financeira são avaliados, entre outros critérios, os seguintes:

  • Tempo de movimentação da conta corrente sem emissão de cheques sem fundo;
  • Pontualidade na quitação de compromissos financeiros;
  • Histórico de utilização de serviços e produtos bancários;
  • Retrospecto de faturamento anual.

Dessa maneira, quanto melhor for a avaliação da empresa feita pela instituição, maiores serão as chances de liberação dos valores pleiteados.

3. Obtenha o limite de crédito necessário

Em toda instituição financeira, o primeiro passo do processo de concessão de empréstimo é marcado pelo estabelecimento de um limite de crédito, isto é, um teto máximo que a instituição se dispõe a emprestar para a empresa.

Esse limite é calculado tomando vários fatores como referência, tais como o cadastro da empresa e dos sócios, o histórico de relacionamento da empresa com o banco onde ela mantém conta e suas informações patrimoniais e financeiras.

Dessa forma, quanto mais fiéis à realidade forem tais informações, mais adequado será o limite de crédito diante das necessidades da empresa. Com base nesses dados, a instituição apura a capacidade de endividamento da solicitante e, consequentemente, o volume de recursos a ser disponibilizado.

4. Forneça informações contábeis e gerenciais confiáveis

Também é comum que, para decidir sobre a concessão de crédito, as instituições financeiras também solicitem das empresas informações de ordem contábil, patrimonial e gerencial.

Empreendedores que resistem em disponibilizar informações completas geralmente têm dificuldades na obtenção do crédito; ou, quando o obtém, o crédito tende a ser liberado em valores menos expressivos, podendo, inclusive, ser insuficientes para a necessidade que motivou sua solicitação.

Disponibilizar informações verídicas e confiáveis permite à empresa contratante ter acesso às melhores e mais vantajosas linhas de crédito para se ampliar um negócio mesmo em tempos de crise.

Portanto, os formulários de solicitação devem ser preenchidos com informações verdadeiras, acompanhadas da devida documentação — sendo esse fator um elemento decisivo para que o pedido de crédito seja aceito e a empresa desfrute das melhores condições.

5. Ofereça garantias financeiras

As instituições financeiras, em geral, solicitam garantias para reduzir o risco da operação de empréstimo. Os critérios para a solicitação de garantias pelas instituições são em parte próprios e em parte estabelecidos com base nas regras do Banco Central.

Sendo assim, em caso de inadimplência, tais garantias são capturadas pela instituição a fim de compensar o montante financeiro emprestado.

As garantias solicitadas pelas instituições financeiras são de dois tipos: reais e pessoais. As garantias reais dizem respeito a bens móveis e imóveis, ao passo que as pessoais compreendem aval ou fiança de pessoas físicas.

6. Conheça as principais linhas de crédito para investimentos fixos

As modalidades de crédito que visam financiar ativos fixos das empresas se destinam ao financiamento de elementos como:

  • obras civis;
  • imóveis;
  • máquinas;
  • equipamentos e veículos;
  • inovação tecnológica;
  • qualidade de produtos e serviços.

As modalidades de crédito para investimentos fixos causam um impacto menor no fluxo de caixa de curto prazo das empresas, na medida em que possuem prazos longos e encargos financeiros menores que os praticados em operações de financiamento de capital de giro, por exemplo.

Portanto, como se pode perceber, conseguir crédito para ampliar negócios em tempos de crise requer perspicácia do empresário diante das inúmeras modalidades existentes no mercado. 

A melhor decisão é encontrada sempre após a avaliação detalhada de cada proposta e das reais necessidades de crescimento do negócio.Se você gostou deste artigo, siga a gente também no LinkedIn e acompanhe todos os nossos conteúdos sobre gestão financeira.


Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *