As características que o mercado procura em um gerente financeiro

Compartilhar

Se procurarmos qual é a atribuição de um gerente financeiro na literatura clássica, encontraremos que a principal responsabilidade do profissional é “maximizar o retorno dos acionistas gerando retorno e valor para a companhia”.

Essa responsabilidade em si é um desafio, pois também demanda que o gestor de finanças esteja preparado para lidar com as expectativas dos investidores — que, nem sempre, têm clareza da complexidade da função de administrar finanças.

Mas não são só as expectativas dos acionistas que precisam ser supridas, há outro grupo de exigências internas e externas que demandam a adoção de uma nova metodologia de trabalho.

Por isso, em tempos de mudanças econômicas constantes, muitas empresas estão adotando uma abordagem de economia criativa, com uma gestão financeira que permite a produção de produtos e serviços customizados de acordo com a demanda do mercado.

Ficou interessado assunto? Neste artigo, veremos qual é o perfil atual do gerente financeiro, e 5 características desejáveis que o mercado tem procurado. Acompanhe a leitura!

Como o gerente financeiro age atualmente nas empresas

O gerente financeiro vem sendo requisitado a cuidar da manutenção da saúde financeira da empresa de forma bem mais abrangente do que era praticado na atuação clássica.

Atualmente, os gerentes financeiros ou CFO (cargo de gestão financeira mais alto dentro de uma empresa) que também participam da gestão da empresa — seja diretamente ou integrando assembleias ou conselhos diretivos — precisam gerenciar ainda a geração de valor do negócio, um bem mais complexo de gerir do que, simplesmente, os custos de produção.

Isso promove uma vantagem competitiva, à medida que permite à organização entregar aquilo que o cliente deseja minimizando a rejeição e viabilizando fidelização.

Além disso, a economia criativa preconiza que ter paixão por aquilo que se faz é essencial na hora de buscar novas parcerias e aceitar propostas comerciais que realmente tenham a ver com os ideais da empresa, sem que sejam vantajosas apenas do ponto de vista financeiro.

E o mercado também tem exigido desse profissional que ele seja capaz de mais do que apenas desenhar, levantar e monitorar métricas. Assim, dentro da lógica de trabalho da economia criativa, o gestor de finanças deve ser capaz de traçar estratégias a partir das informações apuradas.

Bem, diante de tudo isso, vejamos agora quais são as 5 características desejáveis para qualquer gerente financeiro atualmente:

1. Ter inteligência emocional 

Toda crise traz novos desafios, o que pode gerar estresse e incertezas. Portanto, o profissional precisa ter uma capacidade de se adaptar rapidamente às novas dinâmicas. E ter alguém que consiga se relacionar de uma forma saudável dentro da empresa é muito bem-vindo nessa hora.

Assim, além de ser ético dentro e fora dos limites da empresa, o profissional exigido hoje pelo mercado deve primar pela transparência. Deve ser capaz de se comunicar de forma eficiente, sendo flexível, adaptável e capaz de ouvir e recepcionar as demandas dos seus liderados.

2. Ter a capacidade de liderar

Profissionais centralizadores e que optam, deliberadamente, por não preparar a sua equipe para funcionar independentemente da sua presença — por medo de serem substituídos — estão com os dias contados.

O profissional procurado hoje pelo mercado deve procurar gerar valor, e não ser o detentor insubstituível do saber.

Nesse sentido, o gestor financeiro deve preparar um time forte, e que seja altamente responsivo às variações. O que pode, de fato, ser difícil de conseguir — mas, quando se consegue, resulta em uma grande vantagem competitiva para a empresa, produzindo ótimos resultados.

3. Ser proativo

O CFO deve sempre buscar espontaneamente melhores soluções para os problemas da empresa, mas deve fazê-lo de forma responsável, sem se deixar levar pelo entusiasmo.

Ao mesmo tempo, deve considerar a forma mais eficiente de implementar melhorias, objetivando uma utilização mais racional dos recursos disponíveis e buscando sempre produzir o máximo de valor pelo mínimo de custo possível.

4. Ser altamente comprometido

O CFO também deve saber, com clareza, quais são os objetivos da empresa, bem como tem de deter amplo conhecimento sobre a rotina organizacional para que as suas ações e decisões sejam sempre coerentes com as metas da organização. Ou, ainda, com a sua missão, visão e valores, de modo a minimizar ambiguidades.

Você certamente já deve ter trabalhado com pessoas que menosprezam ou ironizam o discurso da organização em que atuam.

Se uma pessoa assim estiver em um cargo de alta gerência, os efeitos podem ser extremamente negativos, pois os liderados não saberão em qual metodologia de trabalho devem se pautar — se é a da empresa ou a do seu superior. E, se esse superior for o gestor financeiro, os prejuízos podem ser mais do que éticos.

5. Perseguir constantemente a inovação

Já dissemos que a crise traz instabilidade ao mercado. Por isso, o CFO deve estar sempre em busca de novas vantagens competitivas, tecnologias e práticas que viabilizem menor custo e maior produtividade.

Grosso modo, se trata de um compromisso com a aquisição de novos conhecimentos para se antecipar às ameaças.

Em outras palavras, um profissional que seja atuante para além das paredes da organização, que estude continuamente. Procurando, assim, estabelecer parcerias e buscar, em outros lugares, as respostas que podem auxiliar sua empresa a se destacar da concorrência e a se estabilizar mesmo num mercado flutuante.

Enfim, lembre-se de que, hoje, as empresas têm recrutado muitos talentos. Isso significa dizer que as exigências na hora de contratar um gerente financeiro vão muito além da experiência e conhecimento na área de atuação. 

Gostou do artigo? Então, aproveite para curtir nosso Linkedin e acompanhe todos os conteúdos sobre gestão financeira.


Compartilhar

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *